A polêmica do novo orçamento de Québec

>> 13 de abril de 2010

No dia 30 de março, Raymond Bachand, o ministro das finanças do Quebec, apresentou o orçamento da província para 2010/2011. O documento, que trouxe uma série de mudanças que implicam principalmente no aumento de impostos, tem provocado muita polêmica. Bachand alega que não tem escolha e precisa equilibrar as contas públicas com urgência. Para o governo, esta é a única saída para cobrir o déficit atual de 4.5 bilhões de dólares, que torna Québec a província mais endividada do Canadá.

Eu já falei um pouco sobre as mudanças no sistema de saúde aqui, mas vamos a um resumo do que efetivamente vai mudar entre 2010 e 2014:

Pagamento de impostos para custear o sistema de saúde (taxa anual)
- $25 em 2010 (julho).
- $100 em 2011.
- $200 em 2012.

Aumento do imposto provincial sobre vendas (QST)
- 1% a mais a partir de 1º de janeiro de 2011 (hoje é de 7,5%)
- 1% a mais a partir de 1º de janeiro de 2012
- Total de 15%, combinado com o GTS (imposto federal sobre vendas, que é de 5%) até 2012
- Só o aumento do QST vai gerar um aumento de arrecadação de 400 milhões em 2010/2011, 1,9 bilhão em 2011/2012 e 3,1 bilhão de dólares em 2012/2013.

Taxa sobre o combustível
- Taxa de um centavo por litro de combustível, a partir de abril de 2010 com um aumento de um centavo anualmente até 2013.

Cortes no governo
Algumas mudanças no governo para estimular o corte de gastos incluem o congelamento dos salários de funcionários públicos até 2013, suspensão de bônus para cargos sêniors, uma redução de 25% dos gastos com publicidade, viagens e treinamento, e ainda a fusão ou extinção de trinta organizações governamentais. Para fiscalizar o pagamento de impostos e diminuir a sonegação, também foi anunciada a criação da Agence du revenu du Québec, no lugar da Revenu Québec a partir de 2011.

Outras mudanças significativas
- Aumento de 3.7% no preço da energia elétrica a partir de 2014/2015 (exceto para indústrias).
- Aumento nas taxas universitárias
- Corte em cursos de francisação em tempo integral de Comunicação Oral e Comunicação Escrita em Montréal (só não consegui confirmar se foram cortados em outras cidades).
- Criação do crédito de imposto solidário (crédit d’impôt pour la solidarité / solidarity tax credit) para reembolsar o pagamento de pessoas de baixa renda

 O impacto dessas mudanças
- Uma família de quatro pessoas com renda anual de 70 mil vai passar pagar mais $650 em 2011 e $1.250 em impostos em 2012.
- Para quem é solteiro, com uma renda anual de 40 mil as mudanças significam mais $365 de impostos em 2011 e $1.250 em 2012.
- De acordo com a oposição, quando todas as medidas estiverem em vigor, o governo estará arrecadando 10 bilhões a mais em impostos.

E agora, José?

Todos serão impactados pelo aumento de impostos, mas a mudança vai tornar ainda mais caro o custo de vida dos solteiros, de quem tem carro ou de quem pensa em voltar a estudar. Para nós que estamos indo para Gatineau, deu para ver que, de cara, tantas mudanças jogam por terra a maioria dos comparativos financeiros feitos aqui, já que o Québec passará a ter o imposto provincial mais alto que Ontario.

É interessante observar que, ao contrário da apatia pública reinante por aqui, a população não tem aceitado tudo calada. Muitos protestos tem sido feitos e a popularidade do governo despencou nos últimos dias.  Se essa mobilização vai refletir em outras mudanças eu não sei, e na verdade acho pouco provável. Mas para nós que ainda estamos no Brasil, nos resta observar o que realmente vai acontecer. 

É por isso que por enquanto ainda não consigo ter muita opinião formada, já que não acho que dê para enxergar tudo tão claramente. Sei que o Québec é a província que mais oferece benefícios aos moradores e isso não sai de graça. Mas acho que se os custos continuarem aumentando assim, o Québec pode perder muitos imigrantes. Agora é aguardar as cenas dos próximos capítulos!

Fonte 1, Fonte 2, Fonte 3, Fonte 4
Orçamento 2010/2011
Resumo do orçamento de 2010/2011

12 comentários:

Sweety Canada 13 de abril de 2010 09:32  

Olá! Obrigado por postar um comentário no nosso blog! A gente já tinha lido (e gostado muito) do seu blog desde o começo que começamos a pensar em imigrar. Nós estamos em dúvidas se entramos com o processo ainda esse ano (lá pra setembro) ou no começo do próximo ano. De fato só começamos a estudar francês agora. Vamos tentar dar uma avançada no francês... Já escolheram um local de Gatineau pra morar? Espero, e tenho certeza, que tudo vai dar certo para vocês! Tu trabalha com publicidade é? Engraçado estou (Rafael) me formando agora em publicidade também! hehehe!
Abraços, Rafael e Vanessa.

Jorge 13 de abril de 2010 10:02  

Post muito útil, Pati!
Isso me faz pensar até mesmo em ir pra Ottawa ao invés de Montreal, pois o custo de vida seria mais baixo. Mas eu li ontem que outras províncias como Ontário tb estão com planos para equilibrar suas finanças através de aumento de impostos.

Jhon 13 de abril de 2010 10:17  

Bom resumo das mudanças da chamada "revolução cultural".

Eu particularmente não tenho opnião formada sobre essas mudanças. Fico preocupado, lógico, pois chegando em um país, sem emprego e pagando essas taxas todas me assusta. Mas me seguro por saber que não posso fazer comparações Brasil-Québec por serem realidades muito dispares.
A província está no vermelho e precisa fazer algo, só não sei se primeiro, eles não deveriam rever a distribuição do orçamento q já possuem.....
bjao

Patinha. 13 de abril de 2010 11:21  

Humilde opinião de quem já está aquí ha mais de ano..MEDO!!
Pagamos mais ,temos menos em vários aspectos e agora pagaremos mais ainda..também teremos que aguardar o que virá e dependendo do andar da carruagem,sair rumo a outra Província mesmo!
Boa sorte pra todos nós.

Igor (Projeto Canada 2012) 13 de abril de 2010 12:10  

Situação complicada a de Quebec, ele tem que atrair mais pessoas mas com impostos mais pesados complica um pouco!
Vamos ver no que vai dar
Tudo de bom.

pantoute 13 de abril de 2010 14:34  

Pati,

Na minha opinião, o que mais me dá medo, como imigrante, foram os cortes na francisação e as taxas para o sistema de saúde. São duas coisas que vão tornar QC muito menos atrativo para futuros imigrantes, e que devem estar tirando o sono da Soraia Tandel... Eu comecei a pensar em outras províncias como alternativa, mas vai depender dos empregos que conseguirmos por lá quando chegarmos.

Diário Canada Brasil 13 de abril de 2010 21:10  

Puxa que medo! É realmente desistimulante essas novas medidas em Quebec. Mas valeu pelo post muito informativo

Bea 14 de abril de 2010 11:49  

Olha... na boa?? Não vai demorar muito e o Québec vai estar que nem a Espanha, totalmente no vermelho e onde as pessoas que trabalham e sustentam a província, sustentam também os milhões de refugiados e imigrantes que chegam lá todos os dias para mamar nas tetas do governo. Imigrante que depois se encaminha e paga seus impostos, tudo bem!! Mas imigrante e refugiado que fica só recebendo ajuda do governo, dá no que estamos vendo agora: déficit!!!
Ajuda à refugiados e imigrantes é muito bonito, mas isso não traz dinheiro não. O Québec ajuda muito, mas deveria manter um sistema de acompanhamento para ver se as famílias estão fazendo por onde. Depois de 1 ano por exemplo, a família não melhorar que seja 10%, é hora de começar a cobrar isso, pois senão vão ficar recebendo eternamente do governo.
Já vi blogs de BRASILEIROS que ensinam como receber ajuda do governo e viver SOMENTE dessa maneira! Me desculpe, mas acho isso super incorreto e esses "pilantras" estao apenas se trasnferindo do Brasil para la...

desabafo... :)

Rafael Serial 14 de abril de 2010 18:11  

Olá! Pega meu e-mail: rafaelserial@gmail.com e o da minha noiva é vanessapaixao@gmail.com.
Meu msn é: raelu@zipmail.com.br
Tu acha que nossa área é boa lá? Talvez eu vá trabalhar com TI lá, não sei.

merciquebec 14 de abril de 2010 20:02  

ei menina! ótimo post...vc conseguiu resumir muito bem as notícias sobre o assunto. Em janeiro deste ano eu já estava com as antenas ligadas (fiz um post sobre a série de reportagens québec dans le rouge"que vi no Salut bonjour) imaginei q o negócio estava feio, mas não tão feio a ponto do governo tomar tais medidas! agora vem cá eles reembolsam cursos de francisação na AF e senac e cortam francisação lá? não é estranho? acho q essa ajuda daqui há pouco vai pro beleléu..triste;(

César, Valéria, Lara e Anaclara 15 de abril de 2010 15:06  

Eu tava sabendo que você pagaria $25 por uma consulta. Achei razoável. Mas $200 em dois anos não fica puxado?

E a vida segue...

Vivi e Alê 18 de abril de 2010 21:19  

Oi Pati! Sempre acompanhamos o seu blog e seu posts são sempre muito bons, mas esse foi fantástico! Acreditamos que deve haver a discussão a respeito desse tema, mas não temos visto ainda tanta repercussão quanto achamos que deveria ter... Inclusive, o seu post nos encorajou a também falar desse assunto, pois é assim que esclarecemos muitas dúvidas e nos inteiramos dos assuntos que farão parte de nosso cotidiano. Esse debate sobre o orçamento ainda vai dar muito pano pra manga...

  © Free Blogger Templates Wild Birds by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP