Impressões sobre o pré-natal e parto em Gatineau

>> 1 de março de 2011

Pré-natal
Já falei um pouco sobre o pré-natal aqui, mas para fechar, fiquei muito satisfeita com a minha médica e com todo o atendimento. Ela foi bastante atenciosa, esclarecia todas as nossas dúvidas, não tinha pressa durante as consultas, era positiva, bem-humorada e segura. Só que acho que deveriam fazer mais ecografias no final da gestação. Aqui parto normal é regra e quase não há cesáreas eletivas e por isso eles vão levando para ver no que dá, mas de qualquer forma, gostaria de ter verificado como estavam as coisas na última semana. Eu até faria um exame, mas seria na próxima consulta e ela nasceu antes...

Parto
- O hospital de Gatineau é muito bem preparado, mas esqueçam aquele conceito de maternidade-hotel que existe no Brasil. Os equipamentos são novos, a equipe é educada e prestativa, o hospital tem uma excelente estrutura física, mas tudo é bem simples. Quando chegamos somos são feitos alguns exames na mãe e no bebê e depois vamos para a sala de parto, que tem uma boa preparação para parto humanizado: chuveiro, banheira, música se quisermos, bola, a iluminação pode ser diminuída, e uma enfermeira fica lá o tempo inteiro. A minha chamava-se Caroline e foi um anjo no meio daquele aperto todo. O médico vai e vem toda hora para acompanhar o que está acontecendo.
- No centro cirúrgico, o pai não pode assistir a cirurgia propriamente dita, nem filmar ou fotografar. Ele só entra depois que o corte é feito e confirma-se que tudo está bem. Depois ele fica com a mulher atrás do campo cirúrgico. Acho que deve ser o medo do pai passar mal e precisarem acudir às pressas...
- Durante a cesárea, mais uma vez a equipe foi bastante atenciosa. Eu devia estar com uma leve cara de pânico, já que tenho um medão de cirurgias, mas todos tentaram me tranquilizar bastante e explicar todo o processo.
- Depois do parto a mãe e  bebê ficam no hospital por no mínimo 48h (parto normal) ou 72h (cesárea). As acomodações podem ser semi-privadas (um quarto para duas mães) ou privadas (individuais). Para ficar nos quartos privados paga-se por isso, ou dependendo do empregador dos pais, o plano de saúde da empresa pode cobrir essa parte.
- A equipe de enfermagem merece os parabéns. Estão sempre oferecendo ajuda sobre amamentação, aconselhando e esclarecendo as dúvidas, que são muitas para as mamães de primeira viagem. Pediatras e obstetras avaliam mãe e bebê diariamente, como é de praxe.
- No quarto há um armário com todos os artigos essenciais para os primeiros dias: fraldas para o bebê, absorventes pós-parto, protetores de seio, vaselina para a troca de fraldas, cotonetes, termômetro, mantas, toalhas. O bebê não é separado da mãe em nenhum momento, e só vão para o berçário aqueles que precisam de cuidados especiais.

Pós-parto
Entre uma semana e dez dias após o parto há uma consulta de acompanhamento para o bebê, que no meu caso foi feita com a médica do pré-natal, e daqui dois meses tenho uma consulta final com ela por conta da cesárea. Além disso, quando temos alta, recebemos uma ligação de uma das enfermeiras do CLSC para avaliar como vão indo mãe e bebê. Ela oferece uma visita à família, e durante a visita pesa a criança, avalia seu estado geral e entrevista pai e mãe para saber a quantas anda a estrutura familiar. Se houver necessidade de outras visitas posteriores ela agenda também. Nessa visita recebemos bastante material sobre amamentação, desenvolvimento infantil, alimentação depois dos seis meses, recuperação do parto, exercícios para a mulher e orientações sobre o sistema de saúde aqui. A primeira consulta oficial com o pediatra é feita aos dois meses, e a primeira vacina também é dada nesta data.


---
Ufa! Comecei a escrever esse post desde ontem cedo, mas só hoje deu para terminar. Tinha que aproveitar para escrever enquanto tudo ainda está fresco na cabeça...

7 comentários:

FB 2 de março de 2011 01:07  

Parabéns!!! Tenho Sophia, de 2 anos e pretendo ter um segundo filho aí no Canadá, foi um alívio ler o teu post!
Sucesso e saúde!!!

César, Valéria, Lara e Anaclara 2 de março de 2011 04:44  

Quem bom que tudo correu muito bem minha amiga.

E a vida segue...

Engravidando 3 de março de 2011 21:06  

Oi Pati! Que bom que deu tudo certo, graças a Deus!Muito bom ver o seu post e ao mesmo tempo um alívio! Mtos bjos para vc e para a Isabella!

Around Myself 4 de março de 2011 12:21  

Oi Paty,

Eu tenho acompanhado algumas amigas aqui em Toronto e no final das contas eh bem parecido com o que vc relatou. Em um mes tambem estarei ganhando o meu bb e estou de olhos bem abertos no sistema daqui. Mais um ponto positivo entao. Isso me deixa bem aliviada.
Como estao mamae e bebe ??

Bjs, Ninha
www.brunahuguenin.blogspot.com

Daniel Cunha 7 de março de 2011 09:26  

Olá Patitando.

OsCunha caminham para o processo. Ainda estamos bem no início e tenho certeza que o Patitando nos ajudará muito. Já tem feito. A tempos tinha lido o post "Custos do processo de imigração para um casal sem filhos" que foi muito útil apesar de termos 2 filhos, mas tinha perdido o seu site. Dessa vez estou incluindo-o na lista de blogs que acompanho. Voltarei mais vezes, Gatineau é uma das minha primeiras opções.

Lupatinadora 7 de março de 2011 21:57  

Lembrando que tudo isso é gratuito e tudo mundo tem acesso!

Rê e Thatá 16 de março de 2011 19:24  

SIMPLEMENTE AMEI ESSE POST.
Eu e meu amrido vamos para Montreal... e eu estou naquela fase de segurar a vontade de ser mãe. Quase explodindo. Tenho certeza vai nascer um bebezinho canadense depois que estivermos ai.Tudo que vc escreveu esclareceu muitas dúvidas que ficam na minha cabeça qdo penso em engravidar fora do Brasil e longe da minha família.
Fico muito preocupada pq falam da necessidade de termos um médico de familia para conseguirmos ser atendidos por médicos de áreas específicas... é assim mesmo? E se eu ficar grávida e ainda não tiver encontrado um tal médico de familia. Ai que meda.
Mas de verdade: OBRIGADA!
Beijos

  © Free Blogger Templates Wild Birds by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP