Vida de Amélia

>> 27 de abril de 2011

Costumo dizer que o Canadá é a terra do "se vira" e do "bring it on". Os canandenses adoram resolver as coisas sozinhos e não gostam de pagar por serviços (até porque são caros para burro). Para brasileiros acostumados a uma cultura em que produtos são caros e serviços são muito baratos, aqui tudo é o contrário. Ainda bem! Só que isso significa que, se tem alguma coisa para resolver em casa, nada de chamar o encanador, eletricista, pedreiro... Faça você mesmo! A máxima também vale para serviços de diarista e babás. A vantagem é que executar serviços aqui é bem mais fácil que no Brasil: há produtos para todo o tipo de serviço e a faxina é mais simples, só é preciso um pouquinho de prática e aprendizado.

Seguindo essa linha, essa recente mamãe tem que dar conta da filhota, do Pavvy e da casa, e quando o emprego vier, vou ter que acrescentar mais uma função à lista. E como é que faz para uma pessoa ligeiramente fanática por organização dar conta de tudo? Não dá. Daí é hora respirar fundo, dizer Woooooosah e pensar o que é mais importante: uma casa de capa de revista ou a paz no lar? Acho que é mais sábio ficar com a segunda opção... Então eu tenho arrumado as coisas por aqui do jeito que dá. Vejam lá, não estou dizendo que nada aqui esteja sujo, mas acontece que o modelo que tínhamos no Brasil de faxinas diárias é inviável por aqui, então é preciso fazer concessões. E assim sigo tentando equilibrar todas as funções e não ficar de cabeça branca. Mas se puder dar um conselho para quem pensa em mudar para as bandas de cá, digo para acertarem esses detalhes ANTES de virem. Então, atenção mulherada, para quem vem com o marido, batam um papo básico sobre divisão de tarefas! No Brasil temos uma cultura bem machista e dificilmente os homens topam ajudar em casa, por isso, entendam que isso faz parte das mudanças que o pacote imigração trará. No modelo familiar daqui todos têm responsabilidades dentro de casa então é melhor já ir discutindo o assunto para não ter problemas depois.

Apesar do meu tom de protesto e desabafo, preciso ser justa e dizer que devagar e sempre o marido aqui está mudando (ou pelo menos tentando) e espero que daqui algum tempo as coisas estejam melhor divididas... Quem sabe?

9 comentários:

Sergio 28 de abril de 2011 00:04  

Nossa, aqui sem ajuda a gente fica maluca. Pode não parecer, mas esta historia do faça vc mesmo nos enche de pequenas tarefas e se nao tomarmos cuidado, passamos o dia trabalhando. A ajuda do companheiro é fundamental.

César, Valéria, Lara e Anaclara 28 de abril de 2011 01:20  

Eu se não ajudo a patroa, tô lascado.

E a vida segue...

Lu 28 de abril de 2011 01:41  

Eh verdade, Pati, a vida muda bastante nesse sentido tbem. A gente tem q se acostumar a nao ter a casa brilhando todo dia, os vidros limpos, os armarios super arrumados. Eu aqui procuro ajeitar as coisas durante as sonecas do Uri - lavar louca, lavar roupa, dobrar roupa, recolher a bagunca, e no fim de semana limpo melhor com a ajuda do Ariel. Quem entra aqui pensa q ta super limpo, mas eu sei bem q nao, q e deveria limpar os vidros e etc.. mass....

Pat et Du 28 de abril de 2011 22:14  

Oi pati!!
Como tá a filhota?

Bom, aqui em casa, quem já faz mais coisas é o maridão. E ele adora botar a mão na massa... desde comida a pintura de parede, então acho que não terei muitos problemas nesse aspecto aí na terra do "bring it on" rs

Bjos,
Pat

Apoema 28 de abril de 2011 23:45  

Pati, não tenho empregada, mas tenho uma diarista que vem a cada 2 semanas e vou na manicure toda semana, tenho até horário fixo, e esse lance de perder isso, q de certo modo foram "luxos" conquistados, dói um pouquinho. Porém faço de tudo, cozinho, lavo, passo, etc...então, acho que sofrerei pela perda de alguém que me auxilie e faça a faxina mais pesada, além de ser uma amiga, e a ida ao salão, digo que é meu momento analista:) Ao invés de pagar "psiqquercoisa", eu vou fazer o pé e a mão e bater papo com as meninas. Imagino como deve ser puxado ter que fazer tudo sozinha e ser mãe.
Mas, acredito piamente naquele ditado que diz que "Deus dá o frio conforme o cobertor", e em Pessoa, que "tudo vale a pena se a alma não é pequena". A gente se adapta ou readapta e vai caminhando em busca do nosso sol, e agora vc tem uma companhia iluminada e fofa com vc:)

Juliana Puma 29 de abril de 2011 15:35  

Paty!!!Adoro seu blog, fico antenada nele sempre..rsrsr.Estamos em processo de imigração, estou grávida com 38 semanas e 6 dias :).Não tenho empregada nem diarista, meu marido adora bagunça e eu odeio, mas para conviver, tive que fechar os olhos para a bagunça que ele faz.rsrsrs.Então...não tenho diarista, muito menos empregada domestica, me viro nos 30.E nem tenho os equipamentos necessário para realizar um boa faxina, tudo é no manual mesmo.Como aí eletro é bem barato, deve facilitar e muito a vida da gente.
beijocas.

Ananda Etges 29 de abril de 2011 23:40  

Como meu marido trabalha em casa fica mais fácil dar conta de limpeza, bebê, cachorro, comida,... Além de ficar um pouquinho com o bebê para eu fazer as tarefas de casa ele também ajuda bastante, não posso reclamar! Assim mantemos o básico em ordem. O resto é só quando o pequeno deixa!

Beijos, Ananda.

http://projetodemae.wordpress.com/

Anônimo 2 de maio de 2011 17:39  

Ola !
Eu me chamo Louise Galdino ( tinha um blog chamado quebeccoeur que desativei a pouco), estamos ( eu meu maridinho e 2 filhotes) no Canada ja ha quase 1 ano! Quando chegamos fomos morar em Trois Rivieres..mas ha 20 dias estamos morando aqui em gatineau na regiao de Aylmer, devido ao trabalho de meu esposo..particularmente estou amando a cidade..nao pretendo sair daqui mais rs! Bom..somos cristaos e estamos a procura de uma nova igreja por aqui! Foi quando uma amiga minha que acompanha o seu blog me falou de vcs! Vcs poderiam me indicar qual igreja vcs frequentam...se puderem teriamos muito interesse em visita-la! Bom no mais obrigada por tudo! E parabens pela filhota! abraco! Louise
ps - Se puder me responder por e-mail, pois nao tenho mais blog eu agradeco..meu e-mail eh louise.galdino@hotmail.com
Obrigada!
Louise

Lupatinadora 10 de maio de 2011 01:04  

Oi Paty,

Estou atrasada nos comentários.

Isso foi algo muuuuito discutido na minha casa antes de virmos pois meu marido foi criado com a mãe fazendo tudo pra ele e depois que casamos tínhamos faxineira 2xs por semana correndo atrás da bagunça.

Ele tem feito várias coisas, mas confesso que é complicado. Até porque agora estou com emprego full time, mais um projeto freelancer que peguei (isso pq não tenho filhos!). O "nível de limpeza" aqui em casa já caiu para padrões de família sem criadagem e pronto. Mas semana passada fui na casa da minha cumadre e a faxineira dela estava de saída deixando a casa arrumada e cheirosa...

  © Free Blogger Templates Wild Birds by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP