Entre ontem e hoje

>> 6 de abril de 2011

Ontem Isabella tinha uma consulta com um ortopedista pediátrico no CHEO. Teoricamente a consulta era para discutir os resultados de um exame, tirar dúvidas e mandar os pais aliviados e despreocupados com o bebê de volta para casa. Mas ao invés disso voltamos com a confirmação de um diagnóstico de DDH Developmental Dyplasia of the Hip - (displasia no quadril), e de presente Isabella veio vestida em algo chamado de Pavlik Harness, uma espécie de cinta que mantém o encaixe do fêmur na bacia em posição para que seu crescimento corrija o problema. Então ontem foi dia de voltar para casa arrasada, chorar horrores, e ter pensamentos múltiplos e conflitantes na minha cabecinha atrapalhada. Porque não repetem o exame? Porque não posso ter uma segunda opinião? Porque usar esse negócio por três meses? Como vou trocar fraldas? Que roupinhas consigo vestir nela? Como ela vai brincar? Será que fiz alguma coisa errada na gravidez? Isso vai atrapalhar de alguma forma seu desenvolvimento?

Ontem conforme o dia ia passando, ia orando, pensando, tentando organizar minhas ideias e conversando com ela... Porque no meio dessa confusão mental, fazia questão de sempre sorrir para que ela não me visse triste, passear de carrinho, cantar musiquinhas e fazer o possível para que o Pavvy não atrapalhasse a rotininha dela (sim, na minha cabeça o treco já ganhou até nome).

Hoje é dia de enxugar as lágrimas e ver o que posso fazer. Pesquisar, ler tudo o que puder sobre o assunto, me informar e deixá-la o mais confortável possível, apesar dela já parecer bem adaptada ao novo acessório. Hoje é dia de guardar as roupinhas e sapatinhos do seu enxoval que ela nem vai chegar a usar por causa do Pavvy e pensar que atividades podemos fazer durante as 4 horas do dia que ela pode ficar sem ele. É dia de comprar meias compridas e roupinhas confortáveis para que ela continue linda e feliz apesar da restrição parcial dos movimentos das perninhas.

Hoje é dia de agradecer a Deus porque o diagnóstico foi feito bem cedo e as chances dela precisar de uma intervenção mais séria no futuro são bem pequenas. É dia de me alegrar porque vejo que Deus tem cuidado de nós mesmo em um país distante, longe da nossa zona de conforto e que aqui ela está tendo acesso a um bom tratamento. Hoje também é dia de pensar que esse é o tipo de coisa que vem para nos deixar mais fortes. Então, hoje é dia de levantar a cabeça, sacudir a poeira e levar Isabella e o Pavvy para passear!

---
Ps1: Esse meu excesso de confiança é forte, mas de vez em quando falha... Afinal de contas sou uma mãe de primeira viagem e é lógico que me dói o coração vê-la usando o acessório. Estou contando os dias para o próximo exame de avaliação. Torçam por nós!

Ps2: Esse post deveria ser para agradecer todos que deixaram comentários pelo meu aniversário! Foi muito bom saber dos anônimos que passam aqui e receber tantos parabéns. Obrigada!

30 comentários:

Sandra Hellen 6 de abril de 2011 14:51  

Difícil é sermos gratos nas tribulações!!! Parabéns pelo sentimento de gratidão em meio as dificuldades. Com toda certeza Deus está no comando da sua vida e da pequena Isabella!!!

Estarei torcendo muito por vcs!!!
Fiquem bem!! Beijos

Juliana 6 de abril de 2011 14:57  

Oi Paty
Acabei de ver o seu post, logo depois que vc publicou….
Não se culpe por nada, pois com certeza vc não fez nada de errado. Agradeça sempre a Deus pois ela está sendo muito bem tratada e o diagnostico foi rápido.
É normal a gente ter algumas recaídas na nossa confiança, acontece com tudo mundo e se acontecer com vc, chore bastante, deixe mesmo as lagrimas caírem que depois vc vai ver como vc vai se sentir melhor....
Estamos torcendo pela recuperação rápida da Isabella!
Bjs

Juliana e Fabiano
http://www.projetosupernovaquebec.blogspot.com/

Marc 6 de abril de 2011 15:55  

Patrícia,

Não sinta culpa! Uma das coisas que aprendi na vida (e como pai também) é que não podemos contralar tudo.

Qualquer notícia "negativa" com relação aos nossos filhos vai nos abalar, seja com 3 meses, 2 ou 5 anos. Dê-se o direito de se sentir triste, todo pai ficaria e isso é parte da vida.

Porém, é o que você falou, o foco tem que ser no que você pode fazer p/ ela se recuperar. Três meses passa muito rápido, quando ela tiver um 1 ano você vai mal lembrar dessa fase.

Meu filho teve diversos problemas de peso e crescimento devido a crises sérias de asma que demoramos a diagnosticar e não foi tratada corretamente. Hoje ele tem 4 anos e meio e apesar de ainda ser bem magrinho, ele é uma criança normal, que mal lembra o bebe de poucos meses que quase ficava sem respirar no meu colo de tanto tossir.

Força, amor e determinação! Outros problemas e muitas alegrias virão, acredite em mim! :)

Mariane 6 de abril de 2011 18:16  

Olá, em primeiro lugar sinta-se abraçada por mim, imagino sua angústia de saber que a pequena vai usar o acessório por 3 meses...mas, como vc. disse, ainda bem que fizeram o diagnóstico cedo, para evitar problemas mais tarde... vai dar tudo certo, provavelmente na próxima avaliação vão dispensar o uso dele...e aproveita para usar as roupinhas nas 4 horinhas que ela ficará sem ele! bjos

Dani 6 de abril de 2011 18:51  

Pati....não sou mãe, mas imagino que eh uma situação dificil demais. Mas tenha força e fé em Deus..tudo vai dar certo!
Um Abraço
Dani

Flá 6 de abril de 2011 19:04  

Poxa Pati, que barra! Mas você está certa: que bom que descobriram logo, que vocês têm acesso ao tratamento e tudo o mais. Tenho certeza que logo logo ela vai estar livre disso!
Fica com Deus.Bjs

Pipe & Renatinha 6 de abril de 2011 19:05  

OI Pat!
Tô sempre te lendo, adoro o blog. Eu sou educatrice e tô grávida (ou seja, tô de molho em casa desde janeiro). Queria te contar, pra te encorajar, que na garderie onde trabalho uma das bebês tb teve que usar essa parafernalha e hoje aos 2 anos é um furacão!!! Por isso fica tranquila pq passa. E nada melhor do que poder usar isso agora qdo tudo neles está em desenvolvimento. Continue confiando em Deus que é maior do que qualquer problema!!!
Bjo com carinho da Renatinha

Cadê Canadá? 6 de abril de 2011 20:50  

Pati,
Não fique triste!
pense nas coisas boas! Vc tem uma menina linda cheia de saúde e que já já estará correndo pela casa livre, leve e solta!
Ela ainda está pequena e talvez este acessório seja mais desconfortável pra papai e mamãe do que para ela!
Que os anjinhos iluminem vcs e que esta fase passe logo!
beijks
Carina

Daniel 6 de abril de 2011 21:01  

Pati: como o Marc falou, esses três meses vão passar super rápido e daqui a quatro meses você nem vai lembrar direito dessa fase. Ainda bem que diagnosticaram cedo, e ainda bem que a pequenina tem pais atenciosos e amorosos. Bola pra frente!

Tati 6 de abril de 2011 21:57  

Pati, com certeza por mais que digamos coisas positivas e de superação para vc, só vc sabe o que está passando, os medos, os anseios e imagino o quão complicado isso deve ser. Eu não sou mãe, mas tenho sobrinhos e tenho uma pequena idéia da sua angústia. farei o que posso que é rezar muito por vcs, e pedir para Deus que tudo isso seja apenas umas fase e em breve ela esteja correndo feliz e sapeca por aí. Força mulher!!!

Lilian Cristina 6 de abril de 2011 22:46  

Paty, creio que todos aqui já disseram tudo para te apoiar, para não me tornar repetitiva vou apenas deixar aqui a letra de uma música:

Continue aguentando
Porque você sabe que conseguiremos,
Apenas seja forte
Pois você sabe que estamos aqui por você,
Não há nada que possamos dizer
Nada que possamos fazer
Não há outro jeito em se tratando da verdade
Então continue aguentando
Porque você sabe que conseguiremos,
Nós conseguiremos

Nós estaremos rezando por sua família.

http://letras.terra.com.br/avril-lavigne/841057/traducao.html

Jhon 6 de abril de 2011 22:48  

Olha Pati, o caminho você já tem e já sabe, já passou no médico e já sabe como agir e a Isabella crescerá perfeita, você verá, eu não tenho nem dúvida!
Na realidade a única preocupação que seu post me fez sentir foi com...você. Não tem problema você chorar, não tem problema vc não se sentir confiante...isso tudo faz parte e é normal, você não é covarde ou menos mãe por ter momentos de fraqueza. Não se sinta culpada por nada, no caso desse problema você não tinha mesmo o que fazer. Mas tome como lição esses momentos para o futuro, sobre outras questões que surgirão na criação da sua filha. Você está fazendo o melhor que pode, do jeito que pode, muitas vezes as coisas sairão do planejado, mas você não se sinta culpada! Abrace-a, beije-a e faça de novo o seu melhor...sem se arrepender Pati.

E saiba, sendo mãe de primeira viagem, sendo mãe a centésima vez, isso tudo não importa. Que mãe não sentiria o coração apertar ao saber que o filho tem qualquer problema que for?

Lembre-se, vocÊ não é fraca por chorar ou ficar triste. Na realidade você está mostrando pra sua filha que não tem problema em ser.... humana.

Bjao Pati, e continue caminhando...

Marcos 6 de abril de 2011 23:21  

Oi, Pati.
Imagino a ansiedade que sente em relação à saúde de sua filhota. Eu acompanho o outro lado da moeda, pois como enfermeiro eu atuo junto à mães com vários contextos e anseios. Por coincidência, no passado acompanhei um bebê que também nasceu com displasia de quadril (ou como chamamos popularmente Luxação Congênita do Quadril). Não há causa definida, apesar da teoria mais aceita relacionar fatores da mecânica muscular e óssea do bebê ainda dentro do útero associado ao tamanho do útero, do bebê e da quantidade de líquido amniótico. Enfim, mas a boa e muito boa notícia é que hoje em dia praticamente 100% dos casos evoluem com cura completa. Esse bebê que eu acompanhei, por exemplo, era acompanhado por ortopedista e pediatra em hospital e também fez uso do abdutor de Pavlik. Hj em dia é uma moça de um ano e pouco muito sapeca e brincalhona, que quase derruba o consultório nas consultas de rotina.
Paciência e perseverança nessa fase mais difícil de início de tratamento, mas cujos resultados serão benvindos.
Abração e conta comigo se precisar.

Carolina 7 de abril de 2011 00:23  

Tenha certeza que os próximos dias ficarão cada vez mais fáceis. Sua filhinha vai se adaptar, é pequenininha e nem vai perceber o aparelho. Logo ela estará 100% boa!

Ao ler seu blog me lembrei que o filho do Marcos Mion também teve displasia e ficou perfeitinho. (http://www.caras.com.br/edicoes/663/textos/marcos-mion-e-suzana-gullo-com-o-herdeiro/)

Tenha muita fé e paciência pois tudo ficará bem! Beijos para a família

César, Valéria, Lara e Anaclara 7 de abril de 2011 01:43  

Minha amiga, saiba que mais do que nunca vocês estarão sempre nas minhas orações. Saiba que apesar da distância esse seu amigo estará sempre ao seu lado. E não se preocupe porque tudo há de dar certo.

E a vida segue...

Marden Bastos 7 de abril de 2011 09:57  

Pati,
Desabafo é bom, faz parte da nossa natureza feminina e alivia muito o nosso coração. Mas o mais importante você está fazendo que é ser grata na adversidade, tirar disto tudo o lado bom, concentrar naquilo que pode ser feito. A sua missão de mãe vai sempre passar por pequenos e grandes desafios e isto só fará você crescer e embora a Isabella seja hoje um bebezinho, ela pode sentir o seu grande amor e um dia saberá de tudo que vocês fizeram por ela. Deus não nos dá nada que não possamos carregar. É isto ai,enxugue as lágrimas, se informe pois desta forma você estará sempre a frente dos acontecimentos e entenderá cada etapa do tratamento. Você está no caminho certo! Grande beijos a vocês.

Liz 7 de abril de 2011 13:09  

Lindona,
Não fique assim! Não deixe a peteca cair! Que pavvy, o q!
As coisas acontecem para nos deixar algum tipo de ensinamento, e pelo que ví, vc já conseguiu extrair o seu, de agradecer a Deus mesmo pelos percalços.
Fica tranquila que vai dar tudo certo! Não há de ser nada!
Se cuidem e passe tudo que tiver de melhor para pequena Isa! Beijos nas duas!!

Adriane 7 de abril de 2011 13:45  

Vamos ficar aqui torcendo pra tudo corra bem!
Bjao

Márcio Nascimento 7 de abril de 2011 18:07  

Paty, eu não queria ser indiscreto, mas... que sintomas fizeram vc desconfiar de problemas?
Sucesso para vc e para Isabella!

fernanda 7 de abril de 2011 23:38  

Isso mesmo, sempre positiva!!! Tudo vai dar certo. Logo, logo sua filha vai estar sem o Pavvy!!
Courage,
Fernanda

Mari 8 de abril de 2011 10:57  

Olá Paty,
não sei se serve de consolo, mas meu primo teve o mesmo problema na infancia e foi corrigido. E na época em que foi diagnosticado eles engessavam as duas pernas por meses. Tenho certeza que o melhor esta sendo feito pelo seu bebê e em breve ela vai estar livre novamente.
Pode ficar tranquila que vc não tem culpa nenhuma por nada disso e ao contrario, esta fazendo o melhor para sua filha cuidando da saude dela. Um beijo e fique tranquila.

Fábio Corsino 8 de abril de 2011 12:05  

Patrícia,

Confie em DEUS! Temos sempre que tentar ver o lado bom em situações ruins. Nesse caso o lado bom foi ter descoberto cedo e o tratamento ser de 3 meses.
Ficarei rezando e torcendo para a Isabella ficar bem. Quero vê-la correndo com minha filha quando chegar em Gatineau.

Abraço e fiquem com DEUS.
Fábio Corsino

Anônimo 9 de abril de 2011 15:54  

Oi, sua umas das visitantes anonimas que nunca deixou recado. Olha, nos ja sabemos que tudo vai dar certo com sua princesa!Fique tranquila,viu?Admiro o modo como vc fala com transparencia que tudo o q se passa aqui em Quebec.(desculpe a falta de acentos, problema no teclado).

Abraco,

Delana.
www.gelobaiano.blogspot.com

Amanda 9 de abril de 2011 17:10  

Oi Pati,
embora eu acompanhe seu blog faz um tempo, é a primeira vez que escrevo aqui. Queria te dizer que vai dar tudo certo! Quando eu ainda morava em SP, a filha de um amigo meu usou a "parafernalha" por um tempo e ela é perfeita! Fique calma porque 3 meses passam rápido e logo sua princesa vai estar livre disso. Um abraço!

Bia Maria 10 de abril de 2011 00:55  

Oie Pati Queridona!
Fique tranquila pois quando a mulher se permite ser mãe, automaticamente, o sentimento de culpa vai ser uma constante em sua vida.
Vc é uma mãe amorosa, zelosa e TDB (tudo de bom) rsrsrs para a Isabella.
Se um dia eu for mãe...queria ser como vc! Pois te admiro!
Deus com seus anjinhos de LuzZ, permitiram que vcs descobrissem isto, para que a Isabella tivesse o tratamento o mais rápido possível!
Força querida! Pois vc é uma guerreira mulher!!
Beijos de LuzZ!

Cynthia... 11 de abril de 2011 09:23  

Ei Pati! Já deve ter mais de ano que te acompanho por aqui, sem vc saber rs!
Acompanhei o processo antes de vc conseguir os vistos e td mais, depois a gravidez e me emocionei no post em que você conta como foi o dia do parto!
Agora tenho acompanhado tbm a vida de mamãe e fiquei triste com sua notícia tbm!
Mas tenho certesa que a fé em Deus nunca falha e que se você seguir forte como está a pequena vai ficar boa logo logo!
Desejo tudo de bom para vocês! Que Deus abençoe grandemente suas vidas, assim como já tem feito né?!

Bjos

Rê e Thatá 11 de abril de 2011 20:13  

Pati,

Vc é uma mãe exemplar. É só ler os seus relatos, o qto a sua emoçao vaza aqui para fora da minha tela e me faz chorar...Isso só pode ser amor e muito amor. E pelo que eu li aqui, não sou a única. Tenha fé que sua Isabella vai ficar muito bem porque está sendo tratada e acompanhada pelos médicos. Tenha fé sempre!!!!

Beijos da admiradora
Thaissa

Patitando 14 de abril de 2011 07:30  

Olá, eu estou tentando responder cada um dos comentários individualmente, mas como há quem não deixou nenhuma forma de contato (blog ou email), digo aqui o meu muito obrigada! ISabella ainda está se ajustando à cinta, mas minha confiança está em Deus de que em breve ela poderá ficar com as perninhas livres novamente.
Agradeço as orações, as palavras de conforto e todos os relatos de quem já passou ou conhece quem teve experiência parecida. Aproveito para deixar um site que tem muita iformação sobre o assunto (em inglês): http://www.hipdysplasia.org

Patinha 18 de abril de 2011 14:28  

Oi Pati..desculpe por estar sumidinha..acabei de ler agora essa postagem e quero deixar meu carinho e apoio mesmo sem nos conhecermos pessoalmente.
Gostaria também de dizer que apesar de parecer um problema muito maior do que realmente é,tudo isso vai passar,digo por experiiencia própria.Tive uma filha que hoje tem 19 anos que quando nasceu teve uma série de problemas de saúde.Ela ficou inclusive 42 dias internada numa UTI neonatal sem previsão de saída nem sequer de vida!! E tudo passou. Temos que ser fortes e muito equilibradas como mães numa hora dessas.
No que precisar de força,graças a Deus e a essas viviencias,tenho de sobra e posso compartilhar.
Tentei te adicionar no FB mas acho que vc não soube que era eu pq usei meu perfil pessoal. rsrs.. Fique bem e obrigada pela recente visita no meu blog.
Bjss e muita fé em Deus!!

Canadá 19 de abril de 2011 16:53  

oiPati,

fica tranquila linda ! nao e nada muito grave ainda mais que foi detectado na infancia e ela 'e um bebezinho .... em adultos ou criancas maiores isso seria um problema, pois as articulacoes sao mais flexiveis do que as outras pessoas... minha professora de frances tem e nao tem problemas, sua Belinha nao vai ter que conviver com isso se Deus quiser.
grande abraco e vamso rezar por ela :)

  © Free Blogger Templates Wild Birds by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP