Relato do meu parto

>> 22 de fevereiro de 2011

 Dias mais coloridos =)

Antes de começar, duas observações:
1. Este texto interessa mais às mães ou a quem planeja ter filhos. É um relato longo, bastante pessoal e pouco tem a ver com imigração ou sistema de saúde canadense. Isto será assunto para o próximo post. Melhor pular se não quiser saber de detalhes excessivamente descritivos...

2. Muito obrigada por todos os comentários sobre o nascimento da Isabella. Sei que dificilmente conseguirei responder a todos individualmente, mas fiquei muito feliz em conhecer novas pessoas que acompanham o blog e saber que muitos se alegraram conosco! Obrigada de verdade!

----
Na quarta-feira (9) acordei ansiosa, mais um dia e nada de Isabella... Sentia os mesmos sinais que vinha sentindo nas últimas duas ou três semanas: cólicas, dores nas costas e contrações, algumas levemente doloridas, mas a maioria sem dor. Como minha mãe e minha sogra estão aqui, e estava tentando aproveitar ao máximo a estadia delas antes do nascimento da pequena, decidi deixar o Flávio no trabalho e ficar com o carro para vermos uma exposição de esculturas de gelo do Winterlude e irmos ao shopping. Aproveitamos a exposição pela manhã e fomos almoçar no Rideau Centre. Depois de almoçarmos fui ao banheiro e percebi um leve sangramento. Achei estranho, comentei com minha mãe e em seguida tive uma dor nas costas mais fortinha. Ainda andamos um pouco, mas fiquei cansada logo, e depois viemos para casa.

Percebi que fui tendo umas contrações doloridas bem espaçadas, algo tipo de hora em hora. Lá pelas 19h decidi marcar e vi que estavam de trinta em trinta minutos. Ainda achava que poderia ser alarme falso e não dei muita bola. Lá pelas 22h elas estavam de quinze em quinze minutos e eu comecei a achar que poderia ser de verdade. A dor era bastante suportável e todo mundo aqui em casa começou a ficar animado e querer que eu fosse para o hospital. Mas aqui eles pedem para só ir quando elas estiverem de cinco em cinco por pelo menos uma hora... Achei melhor esperar, tomar um banho, lavar o cabelo e arrumar os últimos detalhes da minha mala.

Nesse intervalo elas foram se aproximando rapidamente. Quando chegaram de cinco em cinco, por volta de uma da madrugada, ligamos para o hospital para saber se já dava para ir. Eles pediram para esperar meia hora e ir, mas meia hora depois já estavam de três em três ou dois em dois minutos! Nessa hora começaram a ficar bem mais fortes e doloridas. Fomos correndo para o hospital e no carro já estavam de um em um minuto... Aí sim, a coisa pegou e eu não conseguia ficar sentada no carro de jeito nenhum. Fui chegando e queriam fazer o cardiotoco e monitorar os batimentos dela por mais meia hora. Impossível ficar deitada durante as contrações! A bolsa rompeu lá mesmo e fui tentando arrancar a cinta do exame da barriga... Vomitava de dor e só queria ir logo para a sala de parto. No primeiro exame de toque na sala de pré-parto estava com 5 cm de dilatação e no segundo já tinha 7.5 cm.

Tinha lido bastante sobre parto normal, fizemos curso pré-natal e na minha cabeça tudo seria bem diferente, mais lento por ser o primeiro parto, com tempo para controlar a dor... Que nada! Tudo foi bastante rápido: não deu tempo de usar banheira, de usar bola de pilates, tempo de nada. Tentava respirar conforme aprendemos no curso e o Flávio tentava me deixar tranquila, mas chegou um ponto que esqueci tudo! Comecei a pedir anestesia, porque vi que não ia aguentar. O anestesista demorou horrores para chegar, foi complicadíssimo ficar parada durante as contrações para a agulhada, mas depois pelo menos tive uns momentos de alívio!

Lá pelas 4:30 já tinha dilatação total e comecei a empurrar. Foi aí que a coisa desandou. Empurrei muito, por quase duas horas e nada. O médico disse que ela poderia estar presa no canal e sugeriu o uso de pitocina para ritmar as contrações e depois de uma ventosa para puxar o bebê. Naquele momento, com dor (sim, a anestesia foi perdendo efeito) e cansada, só queria que ela nascesse... Tinha lido pouco a respeito da ventosa e decidi aceitar. Ele tentou por três vezes, os batimentos cardíacos começaram a cair e o médico sugeriu uma cesárea, por conta do risco. Me trouxeram oxigênio, vi um monte de gente chegando... Eu já estava aceitando qualquer coisa e minha mãe e o marido que estavam na sala de parto comigo estavam extremamente assustados.

Assim fui eu, para uma cesárea de emergência, tendo chegado tão perto do parto normal que sempre sonhei... Mais anestesia, e depois do primeiro corte deixam o marido entrar. Nada de fotografar ou filmar a cirurgia e depois de alguns minutos, nasce a minha filhinha. Quando ouvi o chorinho, desabei a chorar também! Não conseguia acreditar que ela finalmente estava ali e bem! Nada mais importava. Quando trouxeram para ficar uns minutinhos comigo, o tempo parou e meu coração foi tomado por uma avalanche de emoções. Ela foi examinada ali do meu lado sob os olhos atentos do marido e depois eles foram para outra sala. Lá ela fez o primeiro contato pele a pele com o papai e foi com ele para o quarto. Depois que me fecharam eu ainda fiquei mais uma hora em recuperação e fui para o quarto também. A recuperação da cesárea é estranha, fiquei bastante grogue, tive coceira por todo o corpo e aquele primeiro dia foi todo meio nebuloso, com soro, sonda e tentando conhecer melhor minha filhinha.

Se fosse fazer algo diferente, teria insistido em fazer uma ecografia particular no final da gestação. Cheguei a pedir uma autorização à médica em uma das consultas do pré-natal, mas ela disse que estava tudo bem e não havia necessidade... Acabei não insistindo. Talvez a ecografia mostrasse se uma cesárea seria mesmo inevitável. Talvez também não devesse ter aceitado a ventosa e devesse ter empurrado mais um pouco. No fim, sei que nada disso importa, porque ela está aqui, bem e saudável. Se me arrependo de ter tido o parto aqui? De forma alguma. O hospital tem uma excelente estrutura, a equipe toda foi maravilhosa e sei que se o parto normal aqui não foi possível, é porque não era mesmo para ser. Como disse, a única coisa que acho estranho aqui é a falta de ecografias no final da gravidez, já que, se tudo estiver bem, aqui só fazem uma se o bebê estiver com mais de 41 semanas e não tiver nascido ainda.

Acabamos ficando mais tempo no hospital que o previsto porque ela teve icterícia e no fim estava louca para vir logo para casa. Agora, apesar do cansaço dos primeiros dias, estar aqui com ela é bom demais e meu coração está cheio de amor! É uma delícia aproveitar esses dias de recém-nascida dela. O cheirinho, a delicadeza, as muitas carinhas e boquinhas, as mãozinhas e pezinhos em miniatura... Estamos tirando muitas fotos e quero me lembrar de tudo, porque sei que passa muito rápido. Na semana passada recebemos a visita de uma enfermeira do CSSS, o que é procedimento padrão por aqui e tivemos uma ótima conversa. Esclarecemos muitas dúvidas, Isabella foi avaliada e recebemos muitas informações sobre a recuperação da cesárea, o desenvolvimento da nossa filhinha, amamentação e vários outros detalhes. Vai tudo bem quando tudo acaba bem!

26 comentários:

PTB&P 22 de fevereiro de 2011 20:30  

leia este meu relato de parto domiciliar:
partodoben.blogspot.com

bjs

Bia Maria 22 de fevereiro de 2011 20:59  

Oie Pati!
Menina, li tudinho com olhos arregalados! kkkk Pois ainda não sou mãe e confesso ter um pouquinho de medo (do parto/de ser uma boa mãe, e outras "nóias" rsrs).
Que aventura, heim?
Mas quando a gente olha a foto daquela fofurinha, se derrete toda né? Ôin....que gostosinha meu Deus!!
Pati querida, parabéns mais uma vez pela linda família!=D
Fiquem no Bem e na LuzZ!
Com carinho: Bia

Patinha 22 de fevereiro de 2011 21:09  

Sou a favor de exames,o máximo possível desde que não afete ao bebê.
Muito bom vc ter tocado no assunto e na possibilidade da última eco.
Fico feliz que tudo tenha terminado bem,mesmo que tenha sido tenso e difícil.
Parabéns!
Bjs!

Mariane, Richard e Ricardo 22 de fevereiro de 2011 21:36  

Olá, Parabéns pela filhinha! Que dó ter sentido todas as dores do parto, ter a dilatação e no final terque fazer a cesária...mas o importante é que deu tudo certo, ela está bem, comigo tbm planejei um parto normal desde o início e na hora não tive nada de contração e nem dilatação, mas a cesária tbm foi tranquila e meu pequeno nasceu super bem, essas coisas não dá p/ prever mesmo, mas tbm concordo que uma eco no final poderia mostrar algo, sei lá...bom, que ótimo que está tudo bem com vcs. duas e continue postando as "aventuras da maternidade", bjos, Mari

Fernanda e Mateus 22 de fevereiro de 2011 22:11  

Parabens pela bebe!!! E aproveita muito, pq realmente passa rapido. O meu Lucas ja vai fazer 8 meses, parece que foi ontem que nasceu!!!! Meu parto tbm terminou em cesarea, ele nao passou... mas e como vc disse o que importa e que nasceu com saude.
Bjos e curte muito, e muito bom ser mae

Filipe Moreira 22 de fevereiro de 2011 22:51  

Parabéns, parabéns, parabéns!!

Tudo de bom para ti, família, e claro, pra bebêzinha que acaba de aumentar a família!

Deixe as informações sobre o Canadá pra depois, e curta a garotona! :)

Abraços!

Cadê Canadá? 22 de fevereiro de 2011 23:23  

Pati!!
Que linda a sua princesa!! Muita saúde e felicidades para todos vcs!!!
Beijks
Carina

Imigrantes Legais 22 de fevereiro de 2011 23:25  

Parabéns!!! Obrigada pelo seu relato. Aprendemos muito, e para mim que nunca tive filho, foi ótimo saber como tudo se passou. Um grande abraço p/vcs!

Juliana 22 de fevereiro de 2011 23:28  

Paty...

Apesar de ter sido tenso e dolorido, o que importa é que no final deu tudo certo e vcs estão bem em casa....

Admiro mto todas vcs que passam pelas dores do parto e no final esquecem de tudo quando veem a carinha do bebê... espero que quando chegar a minha vez tbm consiga me sentir assim...

Vamos guardar a dica da eco no final da gestação, vamos tentar insistir pra fazer...

Bjs e aproveite bastante com a sua pequena pq passa rapido mesmo...

César, Valéria, Lara e Anaclara 23 de fevereiro de 2011 03:07  

Pois sendo seu amigo, fiz questão de ler tintim por tintim. Meus parabéns novamente por esse presente divino que vocês receberam.

E a vida segue...

Lu 23 de fevereiro de 2011 05:37  

Pati, me arrepiei todinha ao ler seu relato, pq o meu parto foi muito parecido!! Chorei um monte com vc pq eu consigo imaginar muito o q vc sentiu.
Mas, gracas a D-us (mesmo!) por aqui as coisas tbem terminaram bem e estamos em casa com saude.
Espero poder contar o meu logo.


Parabens, Pati, por ser tao guerreira!!! Beijos e muitos beijos na pequena.

Vc tem facebook? O meu eh Luciana Almeida Tub

Vivi e Alê 23 de fevereiro de 2011 10:08  

Pati, que bom que estão tão felizes!!!! Às vezes nos frustramos quando as coisas não saem como planejamos, né?? Mas que bom que todos estão bem!!! E ela parece ser uma coisinha muito fofa!!! Engraçado que quando vi a foto me lembrei dos seus momentos cute do dia... Ela só vai andar toda linda!!! Mais uma vez parabéns!!!

Beijo!!

Vivi

Ananda Etges 23 de fevereiro de 2011 12:05  

Realmente o que importa é que vocês duas estão bem e felizes! Parabéns pela pequena! Beijos :)

Nossa Terra Prometida 23 de fevereiro de 2011 12:11  

Parabéns! Que Deus abençõe muito essa família! Obrigada por compartilhar essas informações tão preciosas. Até chorei...
Beijos e tudo de melhor!

Bea 23 de fevereiro de 2011 13:33  

Post maravilhoso Pati! Enquanto eu lia, parecia que eu estava revivendo o parto da minha filha, que foi bem parecido com o seu... no finalzinho tive que fazer cesárea.
Parabéns mais uma vez pela princesa. Muita saúde pra ela e pra mamãe!!

Bjo grande!!!

Anônimo 23 de fevereiro de 2011 20:14  

Patrícia, acabo de ler o relato sobre a chegada de Isabella. Que luta, hein?! Mas agora que ela está em seus braços,você sabe que valeu cada minuto, né? Achei curiosa essa informação sobre o exame na reta final da gravidez, já que é nesses momentos que as coisas podem se complicar um pouco. Minha vizinha e amiga descobriu no último exame que o bebê dela ainda não estava posicionado. E ela queria parto normal. Agora, tudo será alegria! Deus abençõe vocês. E que bom que ela já está em casa e está super bem- estou vendo as fotos pelo facebook. É linda. Acho ela parecida com o Flávio. Mas toda semana eles mudam as feições, né? Bj
Mande notícias!
Érica- direto da ebclândia

SonhoComCanada 23 de fevereiro de 2011 22:25  

esse nascimento não deve ter sido fácil, mas fico feliz de estarem todos felizes e saudaveis !

deve ser realmente lindo esse momento na vida de uma mulher.
eu com certeza quero passar por isso, mas antes preciso de um pai para os meus filhos. rs rs

abraços e felicidades !!
http://meetyoutherecanada.blogspot.com/

Lupatinadora 24 de fevereiro de 2011 01:17  

Pati,

Muito bacana você compartilhar essa experiência com os seus leitores.

A gente tem mania de querer planejar tudo e ter tudo sob controle e esse é um dos momentos que não tem muito o que fazer e é torcer para estarmos em boas mãos e com um anjo da guarda bem acordado!

O importante é que, apesar dos percalços, tudo correu bem e mamãe e bebê estão bem e em casa!

BTW, linda a foto, você está se superando!

Val 24 de fevereiro de 2011 08:14  

Nossa, que post emocionante.. Parabéns!!! É iss aí.. aproveitem muuuuito... essa fase é maravilhosa!
Muita saúde e paz pra vcs..

J&A - Toujours 24 de fevereiro de 2011 14:17  

Muito emocionante!Chorei até...
Imagina que quero engravidar ainda esse ano e não vejo a hora de tudo isso acontecer,mas vou ter o bebê por aqui mesmo,rsrs.Fico feliz por tudo ter dado certo. Sua filha é linda, uma princesa!
Beijos.
Jaynara Vidal

Liz 25 de fevereiro de 2011 12:07  

Querida,
Eu passei por isso no parto do meu 1º filho só que aqui no Brasil, com a diferença que não tinha dilatação de jeito nenhum! Bolsa rota e uma espera de mais de 7 horas com as contrações...
Dessa vez, vou marcar a cesárea porque essa experiência para mim foi extremamente traumatizante (motivo da demora de 14 anos para ter outro bb).
Fico feliz que no final tenha dado tudo certo e que vcs duas estejam bem! É isso que importa!
beijos e se cuidem!

Liz 25 de fevereiro de 2011 12:09  

PS: esqueci de contar: tb terei uma menina! :o)

Juliana e Rômulo 25 de fevereiro de 2011 20:39  

Eu fiquei emocionadíssima com seu relato. Também pretendemos ter nossos filhos no Canadá (chegaremos em Ottawa em julho) mas eu não tenho a menor condição psicológica de ter um parto normal hehehe Parabéns pela Isabella!
Juliana e Rômulo

thaty 28 de fevereiro de 2011 13:43  

Caramba amiga, que difícil e dolorido !!! Mas, Glória a Deus que deu tudo certo e vocês duas estão bem !!!
Que o Senhor continue abençoando essa linda família !!!

beijos

Anônimo 4 de março de 2011 18:53  

Pati,
parabéns pela linda menininha e muito obrigada pelos relatos. Pretendo ter filhos no Qc e sempre acho muitissimo uteis seus posts.
Acompanho seu blog há um tempo e fiquei muito emocionada!
Parabéns mais uma vez!

Rê e Thatá 16 de março de 2011 19:31  

LINDO LINDO LINDO! Estou com lágrimas nos olhos e nem te conheço... rsrsrs Mas está tão lindo o seu relato. Tão cheio de amor! Dá pra sentir a léguas de distância. Parabéns pela coragem e pela filhinha cheia de saúde!
estou me preparando para engrevidar e sonho tb com o parto normal... mas o mais importante é a saúde do bebê.
Parabéns!
Um beijo!
Thaissa

  © Free Blogger Templates Wild Birds by Ourblogtemplates.com 2008

Back to TOP